31 de maio de 2018

Corpete no peito 

Sinto-me tão apertada, tão esmagada. Como se tivesse algo a bloquear-me o peito. Nem sei o que me apetece...se gritar, se ficar calada. Simplesmente sinto que não me compreendem, que por mais que tente explicar voltamos ao mesmo, a fazer as mesmas coisas. Tenho noção que não sou fácil de lidar, mas serei assim tão difícil de perceber? De me dar a entender? 

Este dia que seria de descanso parece que foi tudo menos isso...

29 de maio de 2018

Amanhã de tarde 

Não é amanhã de manhã como a canção mas sim amanhã de tarde. Estou morta que chegue amanhã por volta das 14h! Vou ter três dias seguidos sem trabalhar, coisa que já não acontece há imenso tempo. Não são umas férias mas sempre da para descansar. 

Esta semana tem sido dura. Domingo começou semi puxado, ontem estive a fazer algo diferente do habitual e hoje foi de loucos. Amanhã pelo que vi vai pelo mesmo caminho. Quando acabar o turno de amanhã nem quero acreditar! 

15 de maio de 2018

Futebol, campeonatos e memórias

Sou portista desde que me lembro. Quando o meu avô era vivo e estava lúcido, benfiquista ferrenho, adorava pegar com ele por causa do futebol. Era a nossa guerra pessoal em que nos divertíamos os dois! Ele pegava comigo por causa do Pinto da Costa, eu pegava com ele por causa do pouco ou nada que o Benfica jogava. 

Este ano o FCPorto ganhou o campeonato e apesar de não ter seguido os jogos com atenção (nenhuma até) fico muito contente por termos voltado ao topo. Apenas me faltava o meu avô para completar o cenário... Apesar de não ser o clube dele sei que ficaria feliz por mim, por eu estar contente. 
Vi jogos com o meu avô, jogos fraquinhos, jogos importantes, mas nunca vimos um jogo ao vivo. (Aliás apesar de portista e de viver no Porto nunca fui ao Dragão.) Penso que será daqueles arrependimentos sem o ser que terei para a vida...ir com o meu avô ao futebol. Foi algo que nunca se proporcionou mas que adorava que tivesse acontecido. 

13 de maio de 2018

Abandono

O blog tem andado abandonado. Não é que não faça sentido ter ou escrever no blog, penso que é mais o cansaço (cansaço diferente de outros tempos) que me impede. Hoje em dia é raro ligar o computador, existiram tantas mudanças que ainda agora parece estranho por vezes. O facto de me levantar todos os dias cedo não ajuda. Mesmo não trabalhando oito horas por dia todos os dias (há dias em que trabalho mais), por vezes saio de lá tão stressada, tão cansada psicologicamente que não me apetece fazer nada. Mesmo com a aplicação no telemóvel parece que as palavras fogem e não existe nada a escrever. 

Não vou acabar com o blog. Ele contém parte da minha vida e quero de certa forma ressuscitá-lo. Vou tentar ser mais assídua aqui... 


8 de maio de 2018

Acordares 

Uma pessoa ouve o despertador tocar e parece que acabou de se deitar...os últimos dias tem sido assim. Nem tendo o domingo para descansar a sensação melhorou. Não é que vá tarde dormir, que ontem até não fui, e nem demorei muito a adormecer, penso que será mesmo o cansaço acumulado. 

Hoje vai ser outra maratona, portanto o descanso merecido vai ser pouco. Qualquer dia ainda me dá uma coisinha má...

10 de abril de 2018

Leitura que não acaba 

Pouco tempo para ler e depois há livros que custam a ler. Ando a ler um que parece que nunca mais acaba, leio, leio e estou sempre na mesma. Não estou a gostar, seja a história que me parece confusa como a forma de escrever, mas também como falta relativamente pouco para acabar queria despachá-lo. A ver se esta semana a coisa acaba...tenho outro que quero começar que pelas críticas me pareceu muito interessante!! 

14 de março de 2018

Evolução 

Ontem foi dia de fazer um turno diferente no trabalho. Estava receosa, demais, mas até não correu mal de todo. Claro que houve erros, mas são coisas que com a prática se ganha traquejo, pelo menos dizem.. 

Apesar da falta de férias e do cansaço (além da falta de organização pelos vistos habitual neste tipo de empresas/instituições) tenho pena de não ter outra segurança neste trabalho. Estou na minha área o que é óptimo e vou aprendendo sempre mais um pouco. Ganhei em 6 meses experiência que nunca tive, quase quatro anos depois de ter terminado o curso. 

Só faltava mesmo a segurança e estabilidade no trabalho com as devidas férias para estar verdadeiramente contente aqui. Talvez no futuro quem sabe?